domingo, 6 de fevereiro de 2011

IV Frota dos EUA voltar a patrulhar as águas da América Latina



A partir do dia 12 de junho a IV Frota dos Estados Unidos volta a patrulhar as águas da América Latina. Nenhuma potência mundial toma uma decisão importante se não há detrás um grande motivo. O especialista em temas de segurança da Universidade de San Andrés Khatchik Der Ghougassian disse ao diário argentino Clarín que há dois motivos principais de tal decisão: os recursos naturais e aparecimento na América Latina de governos chamados populistas .

Nunca vão (EUA) admitir que é por recursos naturais, mas não é uma coincidência a decisão ter aparecido no momento de início de um cambio estrutural da economia mundial em que as reservas de água potável, alimentos e recursos energéticos ( que nossa região tem em abundância) se posicionam como um valor estratégico importante”, disse.

Os objetivos declarados de Pentágono são atuar e treinar as outras armadas , lutar contra trafico ilícito , colaborar com ajuda humanitária em casos de desastres naturais e manter as vias econômicas de comunicação por mar livres e abertas. Os EUA não ocultam a imensa importância que têm os mares de Hemisfério Ocidental e admitem que aumentará sua a capacidade de atuar , quer dizer, os elementos da Frota vigiarão barcos e aviões, incluindo os civis e comerciais que navegam ao sul dos EUA.

Iniciarão com 11 navios e um porta-aviões.

Porém, outras declarações deixam a impressão os objetivos estarem mais amplos e implicam uma penetração em território latino-americano preocupante. James Stevenson, comandante da Marinha do Sul dos EUA , precisou que seus navios chegarão até o tremendo sistema de rios do continente, navegando não só em alto mar, mas em águas interiores. Isto significa a instalação de um controle vasto no território dos países latino-americanos.

Entretanto se visam outros motivos. Há um líder, Hugo Chávez, que complica-lhes a vida. E há um país, o Brasil, com projeto de liderança, que não é contra os EUA, mas restringe seu poder. É pouco provável os EUA invadirem Amazonas, ainda não é absolutamente impossível.

Tanto Venezuela , como Brasil já responderam. O presidente à época, Luiz Inácio Lula da Silva pediu aos Estados Unidos que explicasse o motivo da reativação da IV Frota, tema que foi abordado por seu par venezuelano, Hugo Chávez, durante a 35ª Cúpula do Mercosul.

Durante uma coletiva de imprensa após a Cúpula do Mercosul, e já como presidente de turno do bloco, Lula foi questionado se concordaria com a opinião de Chávez de que a IV Frota seria uma "ameaça" à região.

"Antes de viajar à cúpula, pedi à chancelaria para se comunicar com o Departamento de Estado norte-americano para que nos dê explicações sobre o porquê da reativação da IV Frota", disse Lula.

Após analisar os documentos de Pentágono, a investigadora mexicana Esther Ceceña chegou à conclusão os EUA consideram todo o continente americano como uma grande ilha, como fortaleza em que se pode até lutar contra outra potência. Para países latino-americanos a tarefa principal hoje em dia é criar uma União militar única para a América Latina. Já circulam alguns projetos iniciados pelos governos do Brasil e Venezuela, mas estes têm os objetivos da consultoria e não prevêem a atuação em conjunto no campo militar.

Fonte: Pravda

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Quem sou eu